O tri e o troco

Phelps ganha pela terceira vez seguida a mesma prova em edições diferentes das olimpíadas e torna-se o primeiro tricampeão olímpico da história. Essa prova ele havia perdido para Lotche no mundial de Shangai à dois anos atrás. Phelps forçou desde o início e manteve a liderança até o final e levou a prova com a maestria de sempre.

Michael Phelps com a medalha de ouro que lhe deu o tricampeonato (Foto: Reuters)

Michael Phelps com a medalha de ouro que lhe deu o tricampeonato (Foto: Reuters)

O troco

Hoje teve a prova dos 100 metros borboleta e Phelps defendia uma invencibilidade de incríveis 12 anos, desde que estreiou em Atenas 2004. Vieram mundiais, provas regionais, Pan pacíficos, olimpíadas e o resultado era sempre o mesmo, Phelps com a medalha de ouro. Se nos 200 borboleta ele errou como nunca, nos 100 ele foi soberano e perfeito, teve o sétimo tempo de reação, passou os primeiros 50 metros só alongando, virou em sétimo, sem se esforçar muito, aí sim, começou o seu show particular, imprimiu um rítmo forte e passou todos levando o ouro.

Le Clos nadou muito bem novamente, virou em oitavo e chegou em segundo na prova.

Le Clos nadou muito bem novamente, virou em oitavo e chegou em segundo na prova.

 

O dia em que o fenômeno virou mito

O dia começou atípico para o maior medalhista da história da olimpíadas. Mas, o feito só veio na última prova do dia, o reservamento 4 x 200 livre.

Chad le Clos explode de alegria ao constatar a vitória nos 200m borboleta (Foto: Agência Reuters)

Chad le Clos explode de alegria ao constatar a vitória nos 200m borboleta (Foto: Agência Reuters)

Antes, a prova dos 200m borboleta, em que phelps estava invicto há 11 anos, neste período em campeonatos regionais, mundiais e olímpicos sempre venceu, é um especialista da prova e recordista mundial e olímpico. Mas, como Phelps está em rítmo de aposentadoria, ele errou e perdeu a prova na batida de mão para o  sul-africano Chad le Clos, de 20 anos, Chad fez o tempo de 1m52s96, Phelps errou duas viradas e consequentemente o encaixe da braçada no final da prova e com isso deu chantes para o sul-africano chegar, Phelps perdeu a prova por 5 centésimos,  com o tempo de 1m53s01.  O japonês Takeshi Matsuda, 28 anos, levou o bronze, com 1m53s21. Assim que o placar eletrônico exibiu o resultado, Phelps tirou a touca e atirou para a frente, em sinal de decepção. – De Clos é talentoso. Tive o privilégio de nadar esse ano contra ele. Quatro anos atrás, a situação foi invertida – disse Phelps à emissora “BBC”.

A consagração de um mito

Com a sua 19ª medalha, ao lado de Conor Dwyer, Ryan Lochte e Ricky Berens nos 4x200m livre

Phelps sabia que não passava por um bom momento e pediu para seus companheiros no reservamento abrirem a prova e nadarem como nunca, para não dar margem para a derrota, como aconteceu no reversamento 4 x 100 livre. Pela ordem nadaram Ryan Lochte em primeiro, Conor Dwyer em segundo, Ricky Berens em terceiro e Phelps por último. A prova foi perfeita, phelps pegou com 2s de vantagem e ainda colocou mais 1s no final, fechando a prova com o melhor tempo da história após os trajes tecnológicos 6m59s70.

Confira o quandro comparativo entre Phelps x Latynina

 

Phelps leva a primeira medalha em Londres em rítimo de aposentadoria

O fenômeno Michael Phelps levou a sua primeira medalha nas Olimpíadas de Londres, e foi de prata. Decepcionante se lembrarmos de seu desempenho em Pequim. Mas, como ele mesmo disse que iria se divertir antes das olimpíadas começarem, não levaremos a sério o desempenho nessas olimpíadas. Nenhum resultado vai apagar o que ele já fez, 8 ouros com 7 recordes mundias, performace que nunca vai se repetir.

A equipe americana, composta por Nathan Adrian, Michael Phelps, Jones Cullen e Ryan Lochte, marcou o tempo de 3min10s38 e ficou com a prata

A equipe americana, composta por Nathan Adrian, Michael Phelps, Jones Cullen e Ryan Lochte, marcou o tempo de 3min10s38 e ficou com a prata

No primeiro dia de comepetição, Phelps já deu mostras que não estava muito preocupado, quase ficou de fora das finais dos 400 medley e na final, cansou e ficou em quarto, nem no pódio apareceu. Ótimo para Tiago Pereira que finalmente conquistou a sua medalha olímpica.

Hoje, dia 29, Phelps nadou bem o reservamento 4 x 100 livre, mas o seu compatriota Ryan Lochte, cançado, pois já havia nadado alguns minutos antes as semifinais dos 200 livre, entregou a prova para o time Francês, que deu o troco, pois, havia perdido em Pequim.

Não vou ficar questionando o fenômeno, que não precisa provar mais nada a ninguém, vamos curtir os últimos momentos dele na piscina. Com certeza vem medalha de ouro nas suas provas favoritas, 100 e 200 borboleta.

 

Lista de Links